domingo, 19 de abril de 2015

O PODEROSO QUARTZO.


O quartzo é o mineral mais abundante da terra. Sua estrutura cristalina é trigonal, ou seja possui três eixos cristalográficos de comprimentos iguais e horizontais, formando ângulos de 120º entre si e um eixo vertical perpendicular aos demais. Essa estrutura também é conhecida como romboédrica, e no caso do  quartzo é composta por tetraedros de sílica (dióxido de silício, SiO2). Este mineral pertence à subclasse dos tectossilicatos tridimensionais. Os minerais silicatados constituem a maior e mais importante classe de minerais constituintes das rochas.


A sílica, é o  óxido de silício. Em seu estado natural possui 17 formas cristalinas distintas, entre elas o quartzo, o topázio e a ametista. A sílica é o principal componente da areia e a principal matéria prima do vidro. 

Mineral é todo corpo natural sólido formado em resultado da interação de processos físico-químicos em ambientes geológicos. Cada mineral é classificado e denominado não apenas com base na sua composição química, mas também na estrutura cristalina dos materiais que o compõem. 

O hábito cristalino do quartzo, (sua aparência em termos de tamanho e forma) é um prisma de 6 lados que termina em pirâmides de 6 lados. Possui dureza 7 na Escala de Mohs (escala criada em 1812 pelo mineralogista alemão Friedrich Vilar Mohs ). Por isso o quartzo é capaz de arranhar o vidro. Apresenta as mais diversas cores (alocromático) e possui muitas variedades. Seu peço específico é 2,65.


Parece que o  nome quartzo teria origem  na palavra alemã ´´quarz``, que no entanto é de origem eslava.  

Geralmente o quartzo ocorre em pegmatitas (rochas ígneas, formadas pela consolidação do resfriamento do magma derretido), graníticas e veios hidrotermais. Alguns cristais podem atingir vários metros de extensão e pesar centenas de quilogramas.

Um geode de quartzo consiste de uma pedra oca (geralmente de forma aproximadamente esférica), cujo interior é revestido por uma camada de cristais. Um geode é uma formação rochosa que ocorre em rochas vulcânicas e ocasionalmente em rochas sedimentares.

Geode
Em geral, o quartzo nasce maclado, ou seja geminado. Por isso o quartzo usado industrialmente é sintetizado. Este mineral tem uso bastante significativo na indústria, podemos encontrá-lo como areia para moldes de fundição, fabricação de vidro, esmalte, saponáceos, dentifrícios, abrasivos, lixas, fibras ópticas, refratários, cerâmica, produtos eletrônicos, cerâmica, indústria de ornamentos, fabricação de instrumentos ópticos. Alguns cristais de quartzo são piezoelétricos (geram tensão elétrica por resposta a uma pressão mecânica), por isso são utilizados em relógios e rádios.  

O quartzo pode ser encontrado nos EUA, Eslovênia, Alemanha, Áustria, França, Espanha, Portugal, Japão, Reino Unido, Austrália, Brasil, Itália e em outras regiões do mundo.

Este mineral, por abundância possui diversas designações diferentes. A prasiolita é um quartzo verde obtido artificialmente e o o citrino, apesar de ocorrer naturalmente, encontra-se em drusas produzidas artificialmente por aquecimento de ametista. 

Citrino bruto

O quartzo é um mineral tão poderoso e importante que é único a possuir um museu. O Museu do Quartzo está localizado em Santa Luzia, na cidade de Viseu em Portugal. A construção foi iniciada em 2006, mas só foi inaugurado oficialmente em abril de 2012.

O monte Santa Luzia possui um  imenso filão de quartzo que o suporta e se instalou em meio ao granito. A normal erosão foi gastando o granito deixando o quartzo em relevo por ser bastante duro. O filão de quartzo começou a ser explorado nos anos 60. O Museu foi construído na cratera deixada no Monte Santa Luzia, por vários anos de exploração por parte da Companhia Portuguesa de Fornos Elétricos, que abandonou o local em 1986. Por esse motivo, o Museu pretende ser o centro de referência do quartzo, com suporte nas novas tecnologias.

A estrutura possui um centro de ciência, salas de exposição, auditório e biblioteca e o projeto foi idealizado pelo geólogo, Galopim de Carvalho. Por isso o espaço também é conhecido como Centro de Interpretação Galopim de Carvalho. 

O Museu aposta na interatividade, assim o visitante pode ir descobrindo o planeta, verificar as características do quartzo, além de experimentar e visualizar inúmeros exemplares de várias qualidades do minério. 

  


Museu do Quartzo - Viseu, Portugal

Esse cristal magnífico,   vem emprestando a sua energia para o planeta  desde que o homem aprendeu a observar a terra, e dela retirar os seus instrumentos de cura. Seja pelas autênticas propriedades de cada quartzo, ou até mesmo quando sua propriedade é empregada  na produção das tigelas de cristal, cuja sonoridade tem sido responsável pela harmonia  pessoal e planetária.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores