quarta-feira, 6 de abril de 2016

CHANEL. A FORÇA E O PODER DE UMA LEONINA


Gabrielle Bonheur ´´Coco`` Chanel -  Nascimento: Saumur (País de Loire), França em 19 de agosto de 1883 às 16h.



Quando Chanel nasceu, o sol estava no signo do iluminado Leão, porém situado na casa 8, significando que apesar da energia leonina e da vocação artística (Leão) que possuía, Chanel teria que enfrentar uma vida com altos e baixos(Casa 8), envolvendo perdas e transformações radicais. Presente na casa 8 também está o planeta Vênus, no signo de Leão. A presença deste astro nos ajuda a entender porque a estilista foi favorecida financeiramente pelos seus parceiros (8). Vênus () na casa 8 também indica perda ligada a algum relacionamento amoroso.

Quem conhece a história da vida de Chanel, sabe que ela teve uma infância pobre, foi abandonada pelo pai ainda menina num orfanato, e dali saiu para se apresentar publicamente no café-concerto La Rotonde (Leão), de onde vem o seu apelido Coco, pois faz referência ao trecho da música que cantava. Foi ali que conheceu o seu primeiro amante, o oficial Etienne Balsan, com quem foi viver durante algum tempo perto de Compiègne, na região da Picardia. Ali Chanel conheceu os hábitos e costumes da vida palaciana, bem diferentes da sua origem humilde.

Na casa 4 do mapa natal de Chanel encontramos Netuno no signo de touro, que caracteriza uma origem com instabilidade material. Lembro que a casa 4 é significadora do lar, da família, do país ou lugar que se relaciona com as raízes da pessoa. Os pais de Gabrielle eram pobres e Saumur, onde nasceu Chanel, era um lugar ainda rústico para os padrões do final do século XIX. Netuno na casa 4, também indica que a vida familiar foi dissolvida (Netuno), ou seja Chanel não teve uma relação profunda com seus pais. Sua mãe morreu de bronquite quando ela estava com 12 anos, e o seu pai, como vimos acima, a abandonou num orfanato. O fato de ter vindo de uma família pobre, fez com que Chanel procurasse esconder a sua verdeira origem familiar, inventando histórias sobre o assunto, uma expressão típica do fantasioso Netuno.  

A Lua no signo de peixes (i), habita a casa 2, que trata dos valores da pessoa, seus talentos e o seu próprio dinheiro. A Lua além de enfatizar as emoções também está relacionada às mulheres e a família, especialmente a mãe. Uma lua no signo de peixes é extremamente sensível e isso explica o fato de Chanel ter usado a sua percepção e sensibilidade para vestir mulheres, ou seja é como se ela pudesse sentir o que as mulheres do seu tempo estavam necessitando (Lua). Entretanto, a lua em peixes na casa 2 também confirma a instabilidade financeira que marcou a sua história familiar. 

O curioso sobre esta lua, é o símbolo que a designer de moda criou para a marca da sua empresa, que lembra muito o símbolo do signo de peixes (i), conforme podemos verificar na imagem abaixo.
O Ascendente está no signo de Sagitário, marcando uma personalidade que para crescer,  precisava expandir os seus horizontes. E foi exatamente o que Chanel fez. Deixou o orfanato onde vivia confinada, para ganhar o palco do café-concerto e inaugurar o sonho de ser cantora de music-hall. Depois deixou Saumur, seu lugar de nascimento, para viver em Compiègne no palácio do bem sucedido Balsan. Dali rumou a Paris com o seu grande amor, o milionário Arthur Capel (Boy), para abrir a sua chapelaria.  Depois  inaugurou a sua Maison  onde começou a criar roupas femininas e daí para frente não parou mais.

Júpiter o planeta que rege o seu ascendente está no signo de câncer (a), ou seja em sua exaltação. Importante destacar que o planeta Júpiter, conhecido na astrologia como o Grande Benéfico, ou o planeta da sorte, está localizado na casa 7 do mapa da Chanel. A casa 7 indica, dentre outras coisas, parcerias, relacionamentos e sociedades. Na sua biografia ficamos sabendo que a designer teve relacionamentos afetivos com homens muito importantes e prósperos,  que a ajudaram, inclusive financeiramente. O seu grande amor, Arthur Capel, que infelizmente morreu precocemente num acidente de automóvel, em 1919,  foi o responsável por patrocinar a chapelaria e a arte da futura designer de moda,Coco Chanel. Júpiter exaltado em câncer (mulheres) na casa 7, nos mostra também que suas clientes foram e ainda são, mulheres poderosas e afortunadas.

A casa 5, é a casa dos filhos, criatividade, prazeres, diversões e amores. Ali estão os planetas Plutão e Saturno no signo de gêmeos (versatilidade)  A conjunção entre Plutão e Saturno, nos mostra que a força transformadora de Plutão e a limitação saturnina combinadas, evidenciam as transformações criativas que levaram a estilista às formas e estruturas minimalistas (Saturno). Mas também, esta combinação, nos volta a lembrar das perdas amorosas que marcaram a trajetória de Chanel, tornando-a uma mulher que soube concentrar a sua energia a favor da sua carreira e evolução artística. Já, o signo de gêmeos na casa 5 nos fala da versatilidade amorosa que marcou a trajetória de Chanel.

Quando morreu Boy, o grande amor de Chanel, a designer ficou muito desgostosa e para superar a dor intensa que sentia, resolveu abrir a sua Maison e dedicar-se com grande empenho ao seu trabalho. Chanel teve com Arthur Capel, o Boy , uma relação amorosa que durou cerca de 10 anos, mesmo sabendo que ele era casado com um inglesa. Mas a história acabou com a trágica morte do amante, o que configura a presença de Plutão (casa 5) em quadratura com o Sol (casa 8) (altos e baixos-perdas).

O planeta Saturno, apesar de estar presente na casa 5, está também muito próximo da cúspide da casa 6, a casa da saúde, cotidiano e do trabalho. Mostrando que Chanel foi antes de mais nada uma mulher voltada para o trabalho e para a ascensão profissional. (Saturno). Marte também passa por esta casa indicando a sua luta cotidiana para se impor com o seu trabalho, mostra também a energia pioneira de Chanel.  

Mercúrio, o regente do signo de Gêmeos, está em conjunção com Urano na casa oito. Identificando uma pessoa com ideias originais, inteligência brilhante e que sabe usar o seu magnetismo com perspicácia. Chanel sabia captar no ar (Urano em conjunção com Mercúrio), o que ainda estava oculto (casa 8). A combinação desses dois astros, assim como o trígono que envolve Urano/Mercúrio e Netuno, também pode explicar o lado místico da estilista. Sabemos que ela teve verdadeiro fascínio pelo número 5, que é justamente o número que marca a casa da criatividade. O perfume Chanel Nº 5, lançado em 1921, foi e ainda é, o símbolo de uma fragrância que remete à magia do classicismo sedutor da marca Chanel. A designer, ´´pretendia criar um perfume de aroma inimitável, em suas palavras "um perfume com cheiro de mulher" (de matéria prima, baunilha). Seu nome se deu por ser o quinto aroma a ser produzido e por ser o número da sorte da estilista que o apresentou aos seus amigos no dia 5 de maio``.
A intensidade e o poder marcam fortemente o mapa de Coco Chanel, pois além do Sol e da Vênus localizados na casa 8, também habitam ali os planetas Urano e Mercúrio em trígono com Netuno em touro (prazer, sensualidade). Cabe lembrar que dentre tantos significados, a casa oito também é a casa ligada ao sexo e a intimidade. Ao estudar a biografia da designer ficamos sabendo que ela teve relações com vários homens poderosos, incluindo o músico Igor Strawinsky.

Quando uma pessoa possui uma casa com muitos planetas, esta torna-se fundamental para a interpretação de um mapa. Este é o caso do mapa natal de Coco Chanel, uma leonina poderosa e intensa,  com ênfase na casa 8 e com uma vida marcada por altos e baixos.  Uma mulher que passou por transformações marcantes, envolvendo perdas e mortes, que transitou entre a pobreza e a riqueza, mas que soube usar a sua mente brilhante e os favorecimentos que recebeu, para modificar positivamente a sua vida e se transformar da menina pobre e abandonada pela família, numa referência de moda e bom gosto, cujo símbolo maior é a Chanel S.A.

Com um mapa Natal marcado por várias quadraturas, as famosas linhas vermelhas, que indicam obstáculos, tensões e frustrações, Chanel poderia ter se limitado a ficar em Saumur e viver uma vida carregada de frustrações, mas soube  usar as tensões do seu mapa a seu favor, tornando-o dinâmico, e movimentando-se em direção às oportunidades que a vida lhe reservou. A designer de moda morreu em 1971, no Hôtel Ritz Paris, onde viveu por anos. O mapa e a trajetória da vida de Chanel mostram um grande exemplo de força e poder de transformação.

Para saber mais sobre Chanel, leia o livro:
Charles-Roux, Edmonde.  A Era Chanel. São Paulo: Cosac Y Naify , 2007

Ou veja os Filmes:
Coco, Antes de Chanel. Direção: Anne Fontaine, 2009 - Bélgica

Coco Chanel e Igor Stravinsky. Diração: Jan Kounen, 2009 - França

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores